terça-feira, 10 de setembro de 2013

#81 Resenha - Floresta dos Corvos (Andrew Peters)

Ark vive no alto das últimas árvores que restam no mundo. E, já que mesmo em um país suspenso como Arborium alguém precisa desentupir os canos, ele tem uma profissão: aprendiz de encanador. É enquanto está ocupado com o vaso sanitário de um político poderoso que o garoto se torna testemunha de algo que vai mudar sua vida. Sem querer, Ark entreouve a conversa de conspiradores que pretendem destruir seu país.
Uma perversa enviada de Maw, o império inimigo, feito de vidro e metal, planeja tomar as ricas árvores de Arborium e transformá-las em matéria-prima, fazendo de seu povo, os pacíficos dendrianos, nada mais que escravos de seu plano maligno.
Flagrado, Ark precisa fugir para não ser morto, e terá de percorrer o gigantesco arvoredo e chegar à sombria Floresta dos Corvos, onde talvez esteja sua única chance de proteger seus amigos e seu lar.

Quando você entra em uma livraria com a mãe dizendo: "Vamos logo! Quero ir pra casa" (desculpa aê mãe) você não consegue fazer uma boa escolha. Acabei não comparando muito os livros e não comprei aquilo que realmente queria. 

Demorei bastante pra terminar de ler o livro e durante todo o período da leitura, eu ficava me perguntando o por que eu não conseguia terminar de ler. Hoje, finalmente acabei. Minha opinião? Não foi o pior livro que li - longe disso - mas não me empolguei para ler a continuação. Sim, tem continuação.

O autor abusou da sua criatividade pra bolar toda a história. Um país nas árvores, as "deusas" Diana e Coverna e... pô! Encanamento nas árvores... Sério, nunca imaginei algo assim. E tem muito mais coisa mirabolante. Só que o problema, foi que o autor não desenvolveu bem os personagens. Faltou um pouco mais de vida um toque mais maduro nos personagens. A escrita ou narrativa é muito infantil, teve momentos que parecia ser uma história contada por uma criança. E isso irritou muito. Exemplo: O garoto lutou contra ratos e larvas gigantes, mas quando apareceu uma aranha inofensiva que era amiga, ele disse: "Socooooooorro! Uma aranha, vamos morreeeeeer." Algo do tipo. Vocês me entendem? Um jeito meio bobo infantil. E isso irritava. Partes ridículas foram na batalha, que prefiro não comentar.

Claro, como disse, é uma história criativa. Mas faltou muita informação. Ora era bem detalhista ora falava, falava e nada dizia e ora era direto de mais. Não tem um meio termo. E isso me decepcionou sabe, por que eu tenho curiosidade em saber o que acontece depois, mas acredito que o tipo da narrativa não vai mudar. E isso já desanima muito. Para quem leu "Pegasus", é mais ou menos isso. Só que "Pegasus" tem uma narrativa menos infantil.

Dai vem aqueles que vão dizer: "Mas Pâmela, é infanto-juvenil e bla bla bla. Sim! É infanto-juvenil. Mas Jogos Vorazes, Divergente, A seleção e mais uma penca de livro mega TOP também esta no setor Infanto Juvenil, mas nem por isso segue esse tipo de escrita criançona.  

Mas, como sempre digo pra vocês. Tudo é uma questão de gosto. Já li comentários aqui do pessoal dizendo que querem muito "Floresta dos Corvos". Querem ler? Leiam. Vocês podem ter uma opinião bem diferente da minha.



Subscribe to Our Blog Updates!




Share this article!

7 comentários:


  1. Oie, minha amiga vim te visitar =D
    Li tua resenha e concordo com o que falou, apesar de não ter lido o livro, nem me interessado pela capa, mas como é? O garoto briga com tudo e tem medo de uma aranha? Que forçado isso!
    Bem, cada um tem um gosto particular, porém não creio que irei gostar desse livro.
    Beliscões carinhosos da Máh :)
    Cantinho da Máh
    @Maaria_Silvana

    ResponderExcluir
  2. Eu quero ler ele. Amei a capa e a história de uma certa forma me chamou muita atenção. Não tenho um grande entusiasmo, mais o lerei futuramente.
    Já li algumas resenha positivas, mais se eu também concorda que a história é meio besta a narrativa acho que não gostarei tanto quanto você.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  3. Ei Pamela,

    Nunca tive vontade de ler, e na época que lançou vi uns comentários falando que não era tão bom, então nem me animei. Que bom rsrs.
    Realmente, tbm não concordo que por ser juvenil pode ser infantil ou mal escrito. Rick Riordan por exemplo é para meninos de 12 anos, estes que vc citou é até para um público um pouco mais velho, mas Riordan e HP estão ai pra provar que não precisa ser infantilizado ne.
    Outro dia li um tbm que achei a mesma coisa, ahhh foi Bruxos e Bruxas já leu? achei fraco demais.
    bjs

    ResponderExcluir
  4. Não conhecia este livro e pela história até poderia me interessar, mas depois de sua resenha acho que nem vou me arriscar. Tem muito livro bom sendo lançado para perdermos tempo lendo algo que parece que não vai rolar.

    Estou seguindo seu blog para acompanhar as atualizações e sempre que puder fazer uma visita.
    Abraços

    http://reaprendendoaartedaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. A capa medeixou com vontade de ler mas a sinopse e a resenha me desseram o contrário e concordo com você em vários pontos não é que seja um livro infanil mas sim a escrita e o seu exemplo jogou fora todas as minhas esperanças de ler esse livro


    http://meulivromeutudo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Realmente a questão de gostar ou não do livro vai da pessoa. Eu não estou curiosa para ler esse livro justamente por ter lido muitas resenhas que também o julgam como sendo um pouco mais infantil do que a conta. Este não é um livro que leria neste momento.

    ResponderExcluir
  7. Como assim, lutas contra ratos e larvas gigantes?! Eu ri viu. Mas eu tenho que adimitir uma coisa, eu ri também porque a minha imaginação também é bem fértil assim kkkkkk
    Eu imagino cada loucura, que se eu fosse passar para um livro iam me taxar de adulta infantilizada kkkkk

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Return to top of page
Powered By Blogger | Design by Genesis Awesome | Blogger Template by Lord HTML