quinta-feira, 24 de abril de 2014

#92 Resenha - Quando eu era Joe (Keren David)

Imagine o que é perder, em uma única noite, sua casa, seus amigos, Como é possível viver mentindo sobre todas as coisas? Sua escola e até mesmo o seu nome. Aos 14 anos, Ty presencia um crime bárbaro num parque de Londres. A partir desse momento, tudo muda para ele: a polícia o inclui no programa de proteção à testemunha, e Ty é obrigado a assumir uma vida diferente, em outra cidade. O menino ingênuo, tímido, que costumava ser a sombra do amigo Arron, matricula-se na nova escola como Joe... E Joe não poderia ser mais diferente de Ty: faz sucesso com as meninas, torna-se um corredor famoso... Joe é tão popular que acaba incomodando os encrenqueiros da escola. Ser Joe é bem melhor do que ser Ty. Mas, logo agora, quando ele finalmente parece ter se encaixado no mundo, os atentados e ameaças de morte contra sua família o obrigam a viver no anonimato, em fuga constante e sob a pressão de prestar depoimentos sobre uma noite que ele gostaria de esquecer. Um livro – de tirar o fôlego! – sobre coragem e sobre o peso das consequências do que fazemos.

Olá pessoal! Tudo bem com vocês? Terminei essa leitura ontem e posso descreve-lo em apenas uma palavra: decepcionante! Mas como isso é uma resenha, vocês querem mais do que uma palavra. Então vamos la!

Primeiramente achei um exagero a sinopse dizer que é um "livro de tirar o fôlego". Gente! O garoto fica o livro inteirinho narrando a sua vida popular em um colégio novo, as briguinhas com sua namorada metida, os amigos bobões que aproveitam a amizade com um cara popular e todas aquelas baboseiras de histórias adolescentes que todo mundo conhece. O pingo de ação que teve no livro era ridícula, previsível e no final das contas sempre dava tudo certo. 

A autora querendo escrever um personagem que ocasionalmente fala que nem gângster foi o fim! Escrever "ocês" para usar isso como um tom ameaçador pra mim passou dos limites. Ele parecia mais uma mistura de maloqueiro com caipira do que um cara realmente malvado. Sério, ridículo. Me da vontade de rir da situação quando lembro. 

Outra coisa que quero destacar é a capa. Quando li a sinopse achei a capa colorida de mais, azul de mais festiva de mais. Os pingos vermelhos de sangue pareciam ridículos para mim. Pela sinopse imaginava algo mais sombrio, misterioso ou algo assim. Mas quando li o livro, pensei: "Não, a capa tem tudo a ver com a história. Afinal, fala mais sobre a vidinha boba do guri do que um assassinato em si. Então o colorido da capa combina totalmente. 

O.K. Pra não ser totalmente negativa quanto ao livro, eu li sem ser totalmente torturada por ele. Se ele fosse extremamente ruim eu não teria nem terminado. Mas é sinceramente um desperdício. Eu só continuei por que eu realmente fiquei curiosa com o que ia acontecer - mesmo que fosse super previsível. 

Como sempre falo aqui nas resenha de livros que não gosto. Se você já tinha um interesse em ler "Quando eu era Joe" não deixe de ler. Nós não temos gostos totalmente iguais. O que desagrada a mim, pode agradar você! 
Read More




quarta-feira, 23 de abril de 2014

23 de Abril - Dia mundial do livro



Boa tarde meus queridos leitores. Como estão nesse meio de semana? Leram muito no feriadão? Espero que todos tenham aproveitado ao máximo! Bom, como todos aqui sabem, hoje é um dia muito especial para nós leitores. Hoje, é o dia mundial do livro e do direito do autor.

Miguel de Cervantes - romancista, 
dramaturgo e poeta castelhano።
Mas, de onde surgiu isso tudo? Tudo teve origem na Catalunha, uma região da Espanha. Originalmente A data começou a ser celebrada em 05 de Abril 1926, em comemoração ao nascimento de Miguel de Cervantes, escritor espanhol. O escritor e editor valenciano, estabelecido em Barcelona, Vicent Clavel Andrés, propôs este dia para a Câmara Oficial do Livro de Barcelona.
 Em 6 de fevereiro de 1926, o governo espanhol, presidido por Miguel Primo de Rivera, aceitou a data e o rei Alfonso XIII assinou o decreto real que instituiu a Festa do Livro Espanhol.
No ano de 1930, a data comemorativa foi mudada para 23 de abril, dia do falecimento de Cervantes.
Mais tarde, em 1995, a UNESCO instituiu 23 de abril como o Dia Mundial do Livro e do Direito de Autor, em virtude de a 23 de abril se assinalar o falecimento de outros escritores, como Josep Pla, escritor catalão, e William Shakespeare, dramaturgo inglês.

Então pessoal! O que vocês estão lendo nesse dia hem? Hoje eu terminei de ler "Quando eu era Joe" em breve farei a resenha desse livro aqui no blog, então vou deixar qualquer comentário sobre o livro na resenha.

Mas voltando ao dia 23 de Abril, gostaria de perguntar a vocês: o que o livro significa para vocês? O que a leitura, estar num mundo cheio de páginas e fantasias, histórias e afins significa para você? Para mim ler é viajar sem sair de casa (clichê, mas é verdade) é conhecer personagens incríveis, fazer amizades imaginárias e se apaixonar por pessoas que não existem mas mesmo assim te fazem sorrir. Ler abre a mente, ler me ensina coisas que se dependessem de eu perguntar, talvez eu nunca saberia as resposta. Ler é informativo, ler conhecimento, ler é imaginação, ler é vida.

Então novamente eu pergunto: o que ler significa pra você?
Read More




sexta-feira, 18 de abril de 2014

18 de Abril - Dia Nacional do livro infantil e Monteiro Lobato

Boa noite leitores!

O Dia Nacional do Livro Infantil foi escolhido pelo então presidente Fernando Henrique Cardoso, em 2002, em homenagem ao escritor brasileiro José Bento Monteiro Lobato. Monteiro Lobato  foi o criador da literatura infantil no Brasil. Autor de histórias infantis, entre elas, O Sítio do Pica-pau Amarelo, cujos personagens Dona Benta, Visconde de Sabugosa, Pedrinho, Narizinho e Emília marcaram a história e infância de muitas pessoas.

Resumo biográfico de Monteiro Lobato

Nascido em Taubaté, interior de São Paulo, em 18 de abril de 1882, iniciou sua carreira escrevendo contos para jornais estudantis. Em 1904 venceu o concurso literário do Centro Acadêmico XI de Agosto, época em que cursava a faculdade de direito.
Foi um importante editor de livros inéditos e autor de importantes traduções. Seguido a seu precursor Figueiredo Pimentel ("Contos da Carochinha") da literatura infantil brasileira, ficou popularmente conhecido pelo conjunto educativo de sua obra de livros infantis, que constitui aproximadamente a metade da sua produção literária. A outra metade, consistindo de contos (geralmente sobre temas brasileiros), artigos, críticas, crônicas, prefácios, cartas, um livro sobre a importância do petróleo e do ferro, e um único romance, O Presidente Negro, o qual não alcançou a mesma popularidade que suas obras para crianças, que entre as mais famosas destaca-se Reinações de Narizinho (1931),Caçadas de Pedrinho (1933) e O Picapau Amarelo (1939).

Como viveu um período de sua vida em fazendas, seus maiores sucessos fizeram referências à vida num sítio, assim criou o Jeca Tatu, um caipira muito preguiçoso.
Depois criou a história “A Menina do Nariz Arrebitado”, que fez grande sucesso. Dando sequência a esses sucessos, montou a maior obra da literatura infanto-juvenil: O Sítio do Picapau Amarelo, que foi transformado em obra televisiva nos anos oitenta, sendo regravado no final dos anos noventa.
Dentre suas obras, Monteiro Lobato resgatou a imagem do homem da roça, apresentando personagens do folclore brasileiro, como o Saci Pererê, negrinho de uma perna só; a Cuca, uma jacaré fêmea muito malvada; e outros. Também enriqueceu suas obras com obras literárias da mitologia grega, bem como com personagens do cinema (Walt Disney) e das histórias em quadrinhos.
Na verdade, através de sua inteligência, mostrou para as crianças como é possível aprender através da brincadeira. Com o lançamento do livro “Emília no País da Gramática”, em 1934, mostrou assuntos como adjetivos, substantivos, sílabas, pronomes, verbos e vários outros. Além desse, criou ainda Aritmética da Emília, em 1935, com as mesmas intenções, porém com as brincadeiras se passando num pomar.
Monteiro Lobato morreu em 4 de julho de 1948, aos 66 anos de idade, no ano de 2002 foi criada uma Lei (10.402/02) que registrou o seu nascimento como data oficial da literatura infanto-juvenil.

Algumas obras de Monteiro Lobato

Coleção Sítio do Picapau Amarelo

  1. 1921 - O Saci
  2. 1922 - Fábulas
  3. 1927 - As aventuras de Hans Staden
  4. 1930 - Peter Pan
  5. 1931 - Reinações de Narizinho
  6. 1932 - Viagem ao céu
  7. 1933 - Caçadas de Pedrinho
  8. 1933 - História do mundo para as crianças
  9. 1934 - Emília no país da gramática
  10. 1935 - Aritmética da Emília
  11. 1935 - Geografia de Dona Benta
  12. 1935 - História das invenções
  13. 1936 - Dom Quixote das crianças
  14. 1936 - Memórias da Emília
  15. 1937 - Serões de Dona Benta
  16. 1937 - O poço do Visconde
  17. 1937 - Histórias de Tia Nastácia
  18. 1939 - O Picapau Amarelo
  19. 1939 - O minotauro
  20. 1941 - A reforma da natureza
  21. 1942 - A chave do tamanho
  22. 1944 - Os doze trabalhos de Hércules (dois volumes)
  23. 1947 - Histórias diversas

Livros para adultos

  1. O Saci-Pererê: resultado de um inquérito (1918)
  2. Urupês (1918)
  3. Problema vital (1918)
  4. Cidades mortas (1919)
  5. Ideias de Jeca Tatu (1919)
  6. Negrinha (1920)
  7. A onda verde (1921)
  8. O macaco que se fez homem (1923)
  9. Mundo da lua (1923)
  10. Contos escolhidos (1923)
  11. O garimpeiro do Rio das Garças (1924)
  12. O Presidente Negro/O choque das Raças (1926)
  13. Mr. Slang e o Brasil (1927)
  14. Ferro (1931)
  15. América (1932)
  16. Na antevéspera (1933)
  17. Contos leves (1935)
  18. O escândalo do petróleo (1936)
  19. Contos pesados (1940)
  20. O espanto das gentes (1941)
  21. Urupês, outros contos e coisas (1943)
  22. A barca de Gleyre (1944)
  23. Zé Brasil (1947)
  24. Prefácios e entrevistas (1947)
  25. Literatura do minarete (1948)
  26. Conferências, artigos e crônicas (1948)
  27. Cartas escolhidas (1948)
  28. Críticas e outras notas (1948)
  29. Cartas de amor (1948)
Claro né gente. Mesmo Monteiro Lobato sendo um ícone da literatura infantil, as crianças (e até mesmo adultos) não leem só os livros dele. Histórias do clássicos da Disney também são lidas por todas as crianças brasileiras. Até hoje nunca conheci nenhuma criança que não conheça a história do Rei Leão ou dos 101 dálmatas. Portanto, um livro que quero apresentar a vocês, é um que lia quando criança, 'Clássicos Favoritos de Todos os Tempos'.





Quem ainda não teve a oportunidade, leia assim que possível esse livro, ou dê de presente à alguma criança. São histórias clássicas, ilustradas e que sempre nos emocionam. 

Fonte: lproweb/ wikipédia/ Turminha do MPF.
Read More




quinta-feira, 17 de abril de 2014

#91 Resenha - Adeus à Inocência (Drusilla Campbell)

Madora tinha 17 anos quando Willis a “;resgatou”;. Distante da família e dos amigos, eles fugiram juntos e, por cinco anos, viveram sozinhos, em quase total isolamento, no meio do deserto da Califórnia. Até que ele sequestrou e aprisionou uma adolescente, não muito diferente do que Madora mesmo era, há alguns anos... Então, quando todas as crenças e esperanças de Madora pareciam sem sentido — e o pavor de estar vivendo ao lado de um maníaco começava a fazê-la acordar —, Django, um garoto solitário, que não tinha mais nada a perder depois da morte trágica de seus pais, entrou em sua vida para trazê-la de volta à realidade. Quem sabe, juntos, Django, Madora e seu cachorro Foo consigam vislumbrar alguma cor por trás do vasto deserto que ajudou a apagar suas vidas?

Boa noite leitores! Ontem terminei uma ótima leitura que quero compartilhar com vocês. Alguém aqui já leu "Adeus a inocência"? O que vocês acharam? Então, ele é totalmente diferente do que eu achei que fosse. Sinceramente fiquei com um pouco de medo de começar a ler, o titulo me deu a impressão de que era uma história um pouco pesada. E não curto história assim, eu me sinto bem desconfortável lendo esse tipo de tema. Mas, eu me enganei...

O titulo do livro, na verdade, se refere ao amadurecimento de vários personagens: Madora, Django e Robin (tia de Django). Ambos passam por mudanças e fazes na vida que vão ter que acabar amadurecendo. 

Madora vive com um cara que ela acha ser uma boa pessoa e que apenas faz o necessário para conseguir cursar a faculdade de medicina e poder dar uma vida melhor aos dois. E que "ajuda garotas sem teto" a ter uma segunda chance e viver melhor. Ela é uma completa retardada na minha opinião, por que oque ela vive ta mais do que na cara que é errado. Porém, ela é tão tola quanto uma criancinha. Inocente, completamente inocente. E que vai aprender a amadurecer.

Django é orfão, e um herdeiro rico. Ele vai morar com a tia Robin, a qual acha que toda sua vida foi desprezada por sua irmã e pai. Ambos passam por uma reviravolta que mostra como uma criança de 12 ano toma atitudes de um adulto e como uma mulher de mais de 40 anos ainda pode ser tão iludida como uma criança. 

Esse livro mostra que não importa a idade; e sim a condição em que vivemos, as pessoas com quem convivemos e o ambiente em que vivemos que ensina a criar maturidade e abandonar características de crianças ou traços inocentes que nos possam cegar a realidade perigosa. 

E uma história previsível e com um final nada de mais. Normal. Mas, a forma que a mensagem é transmitida, é muito autêntica. Recomento a todos que não tem pressa para ler e querem algo leve e sem muito mistério. Algo para passar o tempo. E claro, um ótimo livro para ser usado em algum trabalho escolar de filosofia. 
Read More




domingo, 6 de abril de 2014

#90 Resenha - A cidade dos segredos (Sasha Gould)

Laura foi enviada para o convento logo depois da morte de sua mãe. Passa a maior parte dos dias em silêncio, e, apesar de ser tolerante e obediente, no fundo da alma não consegue aceitar a ideia de viver ali para sempre. Uma noite, sem maiores explicações, Laura é informada de que seu pai a quer de volta em casa. Feliz da vida, ela começa a se preparar para rever sua irmã mais velha, Beatrice, que há algum tempo deixou de responder suas cartas. O que ela jamais imaginava era chegar durante o velório de Beatrice, que morreu em uma situação inexplicável. Agora, o pai de Laura ordena que ela se case com Vincenzo, noivo de Beatrice, um homem muito mais velho e de aparência repugnante. A sociedade Segreta faz um pacto com Laura e promete ajudá-la a se livrar de Vincenzo – e a descobrir quem matou Beatrice. Sem alternativas, Laura é obrigada a depositar todas as suas esperanças nas mãos dessas mulheres enigmáticas. Mas até que ponto se pode confiar na palavra de alguém?

Boa tarde leitores. Nesse final de semana eu terminei uma leitura incrível! "A cidade dos segredos" é uma estoria repleta de mistérios, intrigas e claro, segredos. A autora soube fazer uma salada de fruta com os personagens, que você não consegue desvendar quem fez oque, quem matou quem, e muito menos em quem confiar. 

Eu fico imaginando a agonia e a angustia que a protagonista Laura passa a cada decisão e a cada descoberta nessa rede de mistérios. Pois afinal de contas, Veneza não é uma cidade para se ter amigos, confiança é escassa, e um segredo revelado pode cortar qualquer um como uma espada.

Uma estória de época que usa uma linguagem polida mas nada que seja complicado de entender ou que faça você ler sete vezes a mesma frase pra conseguir captar o que esta acontecendo. 

Outra coisa que eu fiquei realmente aliviada, foi o fato de a história não ter imoralidade. Por que alguém há de concordar comigo que mesmo a capa sendo linda e divina; da a entender que pode ter algo picante. Mas não tem nada! Assim, um beijo e tal, essas coisa sempre tem, afinal é romance. Mas aquela coisa explicita não tem nadinha. Isso pra mim tornou o livro muito mais rico e mais prazeroso. Posso indicar sem medo para amigas que tem o mesmo conceito que o meu e que também se deliciam com mistérios.

Gente. Se vocês gostam de um suspense, você precisa ler "A cidade dos segredos". Tenho certeza que vão amar Laura, amar Giacomo que é outro personagem incrível, amar as intrigas e amar desvendar os mistérios de Veneza.
Read More




sábado, 5 de abril de 2014

Morre ator e diretor José Wilker.

"Nascido em 20 de agosto de 1947 no norte do Ceará, na cidade de Juazeiro, José Wilker foi um grande profissional desde 1965 onde estreou seu primeiro filme foi em 1965, A Falecida ao lado de Fernanda Montenegro como protagonista."


Para quem ainda não esta sabendo da fúnebre notícia José Wilker faleceu nessa madrugada de sábado (05/04) na cidade do Rio de Janeiro. A causa da morte foi infarto fulminante. Segundo o site R7, o corpo de José Wilker será cremado no Memorial do Carmo, no Cajú, no final da tarde de domingo (6). O velório será aberto ao público e acontece neste sábado (5) a partir das 23h no Teatro Ipanema, no Rio de Janeiro, e segue até às 15h de domingo. O ator morreu aos 66 anos e deixou três filhas: Mariana (com a atriz Renée de Vielmond), Isabel (com a atriz Mônica Torres) e Madá (com a jornalista Claudia Montenegro).

Alguns amigos e colegas de trabalho dos ator, lamentam a perda:

"Ele era uma pessoa generosa, bacana, um ator sensacional. Eu tive a oportunidade de conviver com ele pessoalmente em algumas novelas. A gente se divertia horrores, ele era inteligente demais, uma pessoa muito bem-humorada. Estou extremamente triste." - Luiza Tomé

"Eu tô numa tristeza desde que fiquei sabendo. Não vou conseguir ir para o Rio de Janeiro. Estou em Curitiba, apresentandoQuem Tem Medo de Virginia Wolf e era para o Zé estar com a gente. Ele foi convidado, chegou a ensaiar, mas não conseguiu, foi fazer a novela [Amor à Vida]. Acabou saindo, mas foram dois meses de ensaio. Tive um contato muito próximo." - Zezé Polessa

"Os grandes atores estão indo embora. Eu acho que ele vai fazer muita falta. Conheci o José Wilker, mas não tinha um contato pessoal. Um ator talentoso." - Beatriz Segall

Resumo biográfico

José Wilker começou a carreira como locutor de rádio no Ceará, onde nasceu, e se mudou para o Rio de Janeiroaos dezenove anos.
Estreou nas telenovelas em 1971, em Bandeira 2, de Dias Gomes, na TV Globo. Fez muito sucesso com a novelaRoque Santeiro na qual deu vida ao personagem-título junto com Regina Duarte e Lima Duarte. Entre 1997 e 2002, dirigiu boa parte dos episódios do Sai de Baixo, além de ter participado de um dos episódios do programa (Ghost Não Se Discute), em 1997.
Interpretou personagens célebres na televisão, como Giovanni Improtta, na novela Senhora do Destino e o ex-presidente Juscelino Kubitschek na minissérie JK. Em 2012 cai na boca do povo com o personagem Jesuíno Mendonça na novela Gabriela. O personagem foi marcado pelo bordão "Vou lhe usar", que se tornou febre nas redes sociais . No ano seguinte narra a chamada da novela Amor à Vida, e no meio da trama entra no elenco como o personagem Herbert.
Entre seus papéis mais marcantes no cinema estão Tiradentes, no filme Os Inconfidentes, de 1972; Vadinho, do recorde de bilheteria nos cinemas Dona Flor e Seus Dois Maridos, de 1976; o político Tenório Cavalcanti de O Homem da Capa Preta, de 1986 e Antônio Conselheiro, de Guerra de Canudos, de 1997 entre muitos outros.
Fontes: Wikipedia/ portal R7
Read More




terça-feira, 1 de abril de 2014

#89 Resenha - O mundo pelos olhos de Bob (James Bowen)

Depois de um passado difícil, James foi adotado pelo gato Bob. Agora os dois têm um emprego de verdade (são vendedores ambulantes de revistas) e se tornaram personalidades conhecidas em toda Londres. Bob tem muitos admiradores, que passam todos os dias para vê-lo – alguns deles trazem cachecóis de lã para ajudá-lo a enfrentar os dias mais gelados. Entre truques adoráveis e manhãs de puro mau humor, Bob e James se tornam cada vez mais inseparáveis. Por trás da divertida história de um homem às voltas com seu animal de estimação, o segundo livro de James Bowen fala sobre amizade, ¬ delidade e esperança. Bob se torna a chave que traz James de volta ao mundo, a motivação que faltava para sua decisiva volta por cima. Impossível terminar de ler O mundo pelos olhos de Bob sem querer abraçar seu pet – ou adotar um! Apaixone-se...

Boa tarde pessoal. Venho apresentar a vocês mais esse livro incrível! Uma linda história real de amor verdadeiro. Para quem acha que a vida não tem mais jeito, que tudo esta perdido ou que você nunca terá uma oportunidade incrível; você tem que ler esse livro. 

Uma história incrível de superação, escrita de uma forma cômica, confortável e empolgante de ler. James, por não ser um escritor famoso, mostrou que toda pessoa pode escrever um livro se mostrar força de vontade e determinação. 

"O mundo pelos olhos de Bob" é o segundo livro do autor, e conta a história de como foi todo o processo do seu livro anterior. Desde quando ele foi conhecido por uma entrevista num jornal local até a publicação de seu livro "Um gato de rua chamado Bob". Deu para sentir a emoção que ele teve ao contar como foi o lançamento de seu livro. Pensa! Uma pessoa que era morador de rua e vendedor de revista do nada escreve um livro (do nada modo de dizer, afinal ele levou um certo tempo até terminar a escrita.), a primeira coisa que qualquer pessoa nessa situação pensa é que o seu lançamento não vai ser lá aquelas coisas. Mas, para a surpresa de James foi um sucesso! Seu livro ficou durante 52 semanas consecutivas na lista dos mais vendidos na Inglaterra. **ual! ual"* 

E Bob... Ahhh Bob, que gato mais gracioso. Até comecei a me simpatizar mais com gatos. Cada situação engraçada com esse gato travesso que fui obrigada a ler vários trechos para a minha mãe. E ela também ria junto comigo. Os "presentes" que ele trazia para James, como rato e afins fazia eu pensar: "que gato danado, já pensou se ele aparece com uma cobra?". Bom, não duvido nada, afinal gatos muitas vezes podem nos surpreender. Gostei muito quando o autor contava das brincadeiras e dos truques que ele fazia com Bob, os petiscos e tudo mais. Cada vez que eu lia isso, lembrava das brincadeiras que costumo fazer com minhas cachorrinhas. 

James e seu gato Bob
Animais são uma benção para nós. Toda família (quando digo família, é família que cuida e sabe oque significa atenção e amor, e não coleira e canil) deveria ter um animal de estimação. Afinal, os bichos são os melhores amigos que podemos ter. Eles não vão nos trair por dinheiro, não vão nos abandonar caso ficarmos doentes e debilitados. São aqueles que vão sempre nos esperar no portão de casa ou se esfregar nas nossas pernas pedindo um carinho. Por que animais são assim, eles querem amor, carinho e dedicação... E claro, biscoitos!
Read More




Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Return to top of page
Powered By Blogger | Design by Genesis Awesome | Blogger Template by Lord HTML