segunda-feira, 29 de setembro de 2014

Crítica do filme Maze Runner - Correr ou morrer

Em um mundo pós-apocalíptico, o jovem Thomas (Dylan O'Brien) é abandonado em uma comunidade isolada formada por garotos após toda sua memória ter sido apagada. Logo ele se vê preso em um labirinto, onde será preciso unir forças com outros jovens para que consiga escapar.

°Dirigido por: Wes Ball
°Com: Dylan O'Brien, Aml Ameen, Will Poulter 
°Gênero: Ação , Ficção científica , Aventura
°Nacionalidade: EUA
°Classificação: 14 anos

Boa tarde leitores queridos!

Este sábado fui com uns amigos assistir Maze Runner. Apesar de eu já ter lido o livro, ei fiquei muito animada e com altas expectativas quanto ao filme. Antes de eu falar do que eu achei, vou dar um breve resumex do que se trata o filme, já que a sinopse dele não diz muita coisa.

Todo mês, uma vez por mês, um garoto acorda dentro de um elevador. Ele não se lembra de nada, não se lembra do seu passado, sua família, seus amigos, nem o por que esta ali. Exceto o nome, o nome é a única coisa que eles se lembram. Quando o elevador chega no seu ponto final, eles descobrem que estão no centro de um labirinto, ao qual eles tem que achar a saída. Detalhe: toda noite os portões para o labirinto se fecham para a própria segurança deles mas as paredes do labirinto se movem, fazendo assim um novo desenho para o dia seguinte.Desvendar esse labirinto parece ser impossível, até a chegada de Thomas (Dylan O'Brien). Quando esse novato aparece, tudo começa a mudar. 

Eu achei espetacular a adaptação, apesar de claro, ter algumas mudanças do livro para o filme, na minha opinião ele seguiu a linha de raciocínio. Como por exemplo quem morre e quem vive. As coisas que mudaram alistarei abaixo, então se você não leu o livro ou não viu o filme, aconselho a não prosseguir com a resenha, mas não deixe de comenta aqui no post! ;)

Pra mim esse é o melhor trailer do filme, o mais completo e o mais emocionante. ;)


A seguir contém spoilers.

Uma das coisas que mudou foi como eles descobrem a saída do labirinto. Ficou completamente diferente do livro. No livro, eles descobrem que o labirinto tem um padrão e que cada dia, um desenho do labirinto representa uma letra. E que até Teresa ajuda eles a formar as palavras com as letras que eles descobrem. E essas palavras são uma chave para a saída do labirinto. Como uma senha. Mas no filme, eles acham um dispositivo mecânico num verdugo que foi esmagado dentro de umas das paredes. E essa é a chave ou senha para a saída do labirinto. Outra coisa é a porta ou a saída. No livro, é um foço ou um buraco no chão onde eles não veem o fundo, e dentro do buraco tem um painel onde eles digitam as palavras-senhas. Já no filme, o buraco e o painel é na parede e o dispositivo mecânico é a chave.

Outra coisa foi bem no finalzinho quando a galera acha que estão a salvos. Mostra eles dentro das instalações "seguras" e conversando uns com os outros. Já no filme apresenta eles sendo resgatados e usam helicópteros ao invés dos ônibus. E a mulher doente não aparece, e nem os jovens nas "instalações seguras". Outra mudança foi que no livro, a mulher doidona escreve uma carta contanto o resultado da fase um, no filme ela esta em uma reunião com seus colaboradores contando o desfecho. 

Na minha opinião, são mudanças leves, poderiam ter sido originais? Poderiam, mas como falou um autor que gosto, o livro é o livro e o filme é o filme, baseado no livro. Acabam se tornando estórias distintas com muita semelhança. Independente de tudo, a linha de raciocínio foi a mesma do livro, não me importei com as mudanças. Foi tudo muito bacana!

Não deixem de comentar gente linda. Os comentários de vocês são muito importantes! Beijinhos! 



Read More




domingo, 28 de setembro de 2014

#101 Resenha - A Ascensão dos Nove (Pittacus Lore)

Antes de encontrar John Smith, o Número Quatro, eu estava sozinha, lutando e me escondendo para continuar viva. Juntos, somos ainda mais poderosos. Mas isso só vai durar até precisarmos nos separar para localizar os outros. Fui até a Espanha em busca da Número Sete e encontrei mais do que esperava: um décimo membro da Garde, que conseguiu escapar vivo de Lorien. Ella é mais jovem que o restante de nós, mas igualmente corajosa. Agora estamos à procura dos outros — de John inclusive.

"O Número Um foi capturado na Malásia.

O Número Dois, na Inglaterra.

E o Número Três, no Quênia.

Fui capturada em Nova York, mas escapei.

Eu Sou a Número Seis.

Eles querem terminar o que começaram.

Mas, antes, terão que lutar."

Boa tarde seus lindos!

Semana tumultuada e não consegui me atualizar com as resenhas. Lendo mais do que escrevendo. Em fim, finalmente consegui continuar essas sequência sensacional! Não tenho muito o que falar sobre minha opinião do livro, já que ele é tão espetacular quanto os outros dois, então vou fazer um breve resumo, mas sem contar o final, é claro. E contem spoilers.

Spoilers

Na sequência em A Ascensão dos Nove, a Seis, Marina e Ella e seu cêpam vão a procura do número oito que esta escondido na Índia. Chegando lá, eles enfrentam um exercito indianos que não são muito a favor do número Oito, já que ele se diz um deus que é sagrado para o povo. Como assim? O número Oito consegue se transformar em qualquer criatura, Legado bacana não é? Então ele finge ser um deus chamado Vishnu para assim ter a proteção de um general e seus soldados. 

Enquanto isso, do outro lado do mundo, John, número Nove e BK estão se escondendo nos Estados Unidos, dos mogadorianos e do governo, que quer a cabeça de John numa bandeja de prata. Nesse ínterim, os dois discutem se devem ou não voltar para salvar seu amigo Sam, que ficou para trás como prisioneiro dos mogs.

Depois, os membros da Garde descobrem que o governo dos Estados Unidos eta aliado aos Mogadorianos a caça dos Lorienos. Então a única maneira de eles se fortalecerem é se encontrarem. 

Eles descobrem uma forma de se reencontrarem e de lutar juntos! Achei incrível a sequência, totalmente de tirar o fôlego! Vale a pena sem dúvida. Quem gosta de "coisa que não existe" vai amar esse!
Read More




sábado, 20 de setembro de 2014

#Divulgação - Sorteio da editora Novo Conceito!

Boa tarde seus lindos! 

Estou divulgando a vocês um sorteio da editora Novo Conceito em comemoração aos 300 mil curtidas na página dele no Facebook. Eles vão dar 300 livros!!! Isso mesmo. 300 livros para os seus queridos leitores!


Para saber como participar, clique aqui ou clique na imagem, que redirecionará para o post oficial da promoção. Você tem três formas de participar: facebook, twitter ou instragram. Serão 50 exemplares de Primeiro Amor, Quando Tudo Volta, A Filha do Louco, As Gêmeas, Anjos à Mesa e O Diamante.

Eu já estou participando, e você? Não perca essa oportunidade! O sorteio é simples e sem muitas regrinhas. A novo conceito espera por vocês! 
Read More




quinta-feira, 18 de setembro de 2014

#100 Resenha - Contos da seleção - O Príncipe & o Guarda (Kiera Cass)

Os dois contos que se passam no universo criado por Kiera Cass, autora da trilogia A Seleção, agora estão disponíveis em edição impressa. Em “O Príncipe e O Guarda”, o leitor pode acompanhar de perto os pensamentos e emoções dos dois homens que lutam pelo amor de America Singer. Antes de America chegar ao palácio, já havia outra garota na vida do príncipe Maxon. O conto O príncipe não só proporciona um vislumbre das reflexões de Maxon nos dias que antecedem a Seleção, como também revela mais um pouco sobre a família real e as dinâmicas internas do palácio. Descobrimos como era a vida do príncipe antes da competição, suas expectativas e inseguranças, assim como suas primeiras impressões quando as trinta e cinco garotas chegam. Para America, a vida antes da Seleção também era muito diferente. A começar pelo fato de que ela estava completamente apaixonada por um garoto chamado Aspen Leger. Criado como um Seis, ele nunca imaginou que acabaria se tornando membro da guarda do palácio. Em O guarda, acompanhamos Aspen a partir do momento que o grupo de trinta e cinco garotas da Seleção é reduzido para a Elite, conhecemos sua rotina dentro das paredes da casa da família real — e as verdades sobre esse mundo que America nunca chegou a conhecer. Leitura indispensável para os fãs de A Seleção, esta antologia inclui, ainda, um final estendido do conto O Príncipe; conteúdos extras exclusivos, como uma entrevista com a autora e dados inéditos sobre os personagens; além dos três primeiros capítulos de A escolha.

Boa tarde meu leitores amados!

Terminei mais um livro que trouxe da bienal, e esse me agradou mais do que o último. Porém, tive muitas expectativas sobre ele e elas não foram completamente alcançadas. 

O livro conta um pedaço da estória da Seleção do ponto de vista do príncipe Maxon e do ponto de vista do guarda Aspen. Começando pelo príncipe ele conta um pouco da estória com base no primeiro livro, A seleção. Mas é só um pedaço bem curto mesmo. E depois vai para a versão do guarda, com base no segundo livro, A Elite. Da mesma forma, conta só um pedaço da estória.

Abaixo, um pouquinho de spoiler de A Elite e A Escolha. Mas nada muito exagerado como o final do livro. rsrs

O que deixou a desejar foi quando contou a versão do guarda. Ele pulou direto para a punição de Marlee e de Carter, logo apos o bailer que Aspen dançou com America. Eu achei que iria contar algo mais detalhado de como Aspen foi trabalhar no palácio.

E também, me desapontei por que achei que iria falar melhor sobre como começou o envolvimento de Aspen com Lucy. Achei essa segunda parte do livro meio fraca e incompleta. 

Agora a primeira parte que começa com o príncipe eu já curti. Eu sempre achei que ele tinha se encantado pela América logo de cara, uma paixão mais forte. Mas me enganei, foi uma tração mais pela beleza dela. Nada muito forte como achava anteriormente. 

Logo depois, vem a entrevista da Kiera sobre os livros. Eu realmente fiquei contente por saber que ela se inspirou na história da rainha Ester (da bíblia) e na estória da Cinderela. Achei uma graça, e realmente fez uma combinação bem bacana. 

Mas não vou estragar mais a surpresa de vocês. Quem é fã, não pode deixar de ler. E pra quem não é fã, não vale lá muito a pena - da pra entender isso? - Por que esse livro não acrescenta muita coisa, nada mais do que vocês já não saibam pelo três outros livros.

Confira a resenha de
Read More




segunda-feira, 15 de setembro de 2014

#99 Resenha - Carta de amor aos mortos (Ava Dellaira)

Tudo começa com uma tarefa para a escola: escrever uma carta para alguém que já morreu. Logo o caderno de Laurel está repleto de mensagens para Kurt Cobain, Janis Joplin, Amy Winehouse, Heath Ledger, Judy Garland, Elizabeth Bishop… apesar de ela jamais entregá-las à professora. Nessas cartas, ela analisa a história de cada uma dessas personalidades e tenta desvendar os mistérios que envolvem suas mortes. Ao mesmo tempo, conta sobre sua própria vida, como as amizades no novo colégio e seu primeiro amor: um garoto misterioso chamado Sky. Mas Laurel não pode escapar de seu passado. Só quando ela escrever a verdade sobre o que se passou com ela e com a irmã é que poderá aceitar o que aconteceu e perdoar May e a si mesma. E só quando enxergar a irmã como realmente era — encantadora e incrível, mas imperfeita como qualquer um — é que poderá seguir em frente e descobrir seu próprio caminho.

Boa tarde amados leitores 

Terminei ontem a noite mais uma das minha leitura que veio da Bienal. Infelizmente, essa não me agradou. Vou explicar o por que, mas antes vou dar uma breve tapeada na estória.

Tirando a dúvida que muitos talvez possam ter, o livro não é espirita nem nada, digo isso por causa do título que ele carrega. No encontro de blogueiros da editora Seguinte perguntei sobre isso. Achei que poderia ter algo com a protagonista fazer contatos com os mortos e tal. Mas não. As cartas que ela escreve são uma espécie de diário. Ao invés de dizer "querido diário" ela diz "querida Amy Winehouse" ou "querida Judy Garland" e ela conversa e desabafa como se a pessoa fosse real, estivesse ali. Só isso..

Então, como Laurel perdeu sua irmã mais velha, entra pro ensino médio, muda de colégio e fica longe dos amigos, é difícil ela se encaixar em um novo grupo. Até que ela começa a fazer essa espécie de diário. Isso meio que da forças pra ela enfrentar suas novas mudanças. Ela faz amigos, se enturma novamente e se transforma em uma jovem mudada e mais madura. 

O livro alterna em passado e presente. Ora sobre Laurel com sua irmã e sua infância, ora sobre Laurel enfrentando seus medos e o peso da suposta culpa que carrega pela perda de May. 

A resenha continua com alguns spoilers.

Eu fiquei contente por o livro não ter uma narrativa chata de adolescente que sua maior preocupação é espinhas e dever de casa. Isso me irrita muito quando invento que querer ler livros com conteúdo adolescente. Mas não foi o caso desse. Gostei por alguns personagens terem uma voz forte e pensamentos maduros. E a forma como Laurel expressava seus sentimentos sem ser ridículos. Digo, ela tinha problemas reais. Coisas que muitos adolescente jamais passaram - e tomara que nunca passem. E pra quem teve os problemas que Laurel teve como:perda da irmã, abuso sexual e a perda da mãe por não ter aguentado o tranco por assim dizer e ter ido embora. 

Mas mesmo Laurel falando muito bem de sua irmã e de quanto ela era corajosa e destemida, fiquei indignada de como ela colocava Laurel em perigo. Poxa! Ela quer sair com um cara que tem o dobro da sua idade, dai ela leva a irmã mais nova para o cinema como desculpa para sair, deixa a irmãzinha com o amigos do cara e vai embora! Embora! Volta mais tarde pra pegar Laurel no cinema e depois e tonta concorda em fazer isso de novo, e várias e várias vezes. E em todas as vezes ela é molestada. E May, a irmã mais velha aventureira e irresponsável não sabe de nada. Como se isso nunca fosse acontecer! Sabe o que eu pensava dessa garota? Minha reação era mais ou menos assim



E o pior é que isso é uma coisa real. Essas coisas acontecem e as pessoas que caem nesse laço nunca param pra pensar na baita irresponsabilidade que esta fazendo. Por isso que essa parte do livro me deixou tão frustrada. 

Mas, o que me deixou desconfortável na estória foi algo que prefiro não comentar aqui pra evitar debates sem fim. 

Abaixo esta o vídeo da autora para os leitores brasileiros:


Segundo o blog Sobre Sagas, a 20th Century Fox comprou os direitos de adaptação de Cartas de Amor aos Mortos, romance de estreia de Ava Dellaira. A produção do filme ficará por conta de Wyck Godfrey e Marty Bowen, que já trabalharam juntos em A Culpa é das Estrelas, e o roteiro será escrito pela própria autora.

Beijinhos queridos leitores, espero que tenham gostado da resenha. Até a próxima! 


Read More




sexta-feira, 12 de setembro de 2014

Sorteio de 4 anos de blog Mil Léguas!

Boa noite meus queridos leitores!

Hoje lanço mais um sorteio super bacana em parceria com o blog Fluffy. Em outubro o blog Mil Léguas completará 4 anos! Então eu e a Gabriela do Fluffy iremos te presentear com dois livros e vários mimos. Venha conferir!


PRÊMIOS

♡ Livro História da Primeira Guerra Mundial - Vitória na frente ocidental. (resenha aqui)
♡ 1 Poster de Carta de amor aos mortos
♡ 1 Poster de Em Chamas
♡ Marcadores sortidos

REGRAS OBRIGATÓRIAS!

♡ CURTIR no Facebook Blog Mil Léguas
♡ CURTIR no Facebook Fluffy
♡ COMPARTILHAR no Facebook em modo PÚBLICO a imagem promocional (CLIQUE AQUI)
♡ Clicar no botão QUERO PARTICIPAR na barra de promoções (LINK AQUI)

São apenas essas as regrinhas. Mas elas são obrigatórias. Vamos conferir se você compartilhou a imagem, por isso a importância de estar em modo público.

OBSERVAÇÕES SOBRE O SORTEIO

  O sorteio inicia no dia 12/09 e vai até 11/10
Promoção válida apenas em território nacional
♡ O ganhador será notificado pelo chat do Facebook portanto deixe-o desbloqueado para os que não são amigos.
 O ganhador terá até segunda feira 13/09 as 20:00 para responder o recado. Caso contrário farei um novo sorteio.
 Cada blog ficará encarregado de enviar seu prêmio num prazo de 30 dias.
 O blog Mil Léguas e o blog Fluffy não se responsabilizam por perdas ou extravio dos prêmios.
 Se não tiver ninguém para receber os prêmios no endereço que nos foi enviado, a mercadoria volta e o ganhador ficará responsável em pagar o segundo frete. 
 Caso isso aconteça, o prêmio será enviado após a confirmação do pagamento.

Só isso gente. O sorteio vai até 11/10 quando o blog completa 4 anos. Conto muito mesmo com a participação de vocês. Desde já agradeço muito ao carinho e a participação de todos os leitores nesses 4 anos! Muito obrigada a todos!
  

Read More




domingo, 7 de setembro de 2014

#98 Resenha - Jonh Carter - Entre dois mundos (Stuart Moore, Edgar Rice Burroughs)

Perdido em um mundo, encontrado em outro. Guerra Civil, EUA. John Carter, um soldado veterano, é misteriosamente transportado para Barsoom, o planeta vermelho, conhecido como Marte. Envolvido em um conflito de proporções épicas, em meio a uma guerra alienígena, Carter precisa lutar para manter vivos dentro de si dois dos sentimentos humanos mais conhecidos: a esperança e o amor. Baseado no clássico Uma princesa de Marte, obra de fantasia e ficção científica de Edgar Rice Burroughs, criador de Tarzan.

Boa tarde queridos leitores!

Ontem eu terminei esse livro super bacana. Minha mãe ficou até assustada que eu terminei ele tão rápido - foi em três dias se não me falha a memória - são apenas 158 páginas, e a letra era tamanha médio. Então acredito que demorei um pouco. 

Em fim, ao contrário da maioria, o livro é baseado no filme, que é baseado no livro "Uma princesa de marte" de Edgar Rice Burroughs. Confuso? Ok, esclareço isso mais no final, antes vamos falar sobre esse livro em especial.

Se eu não tivesse assistido o filme antes, provavelmente meu coração teria saído pela boca de tanta agonia. Os filme - dependendo do tema - te dão uma certa dose de adrenalina. E ao contrario dos livros, eles não tem detalhes, os pensamentos dos personagens, o que eles estão sentindo em cada momento. 

Por isso, quando eu assisti John Carter não tive essa tensão como tive no livro, já filme é sempre mais rápido e mais objetivo. Com o papel na mão, por assim dizer, tive uma visão um pouco mais ampla e me deixou com uma expectativa maior, apesar de o livro ser totalmente igual ao filme. É como se tivessem pegado o script completo. Eu gostei disso, já que se tornou fiel a estória, o que é ótimo para não confundir nossas cabeças. Confundir? Como assim?

Agora que entra o livro "Uma princesa de Marte". O filme John Carter foi baseado nesse primeiro livro da trilogia "Barsoom" do E.R. Burroughs. Pelo que vi da sinopse desse livro, os roteiristas do filme John Carter seguiram bem de perto a estória - ou não, como não li o livro não posso ter total certeza disso.

Trilogia 'Barsoom' de E.R. Burroughs
Em fim, dai apos lançar o filme resolveram fazer o livro baseado no filme. Bacana isso né? Eu gostei bastante de John Carter, tanto do livro quanto do filme, já que os dois são iguais. 

Abaixo esta os trailers do filme para quem se interessar em assistir. O primeiro é legendado e mais calmo, mas intercala entre a vida dele na Terra e em Marte. O segundo já mais agitado e mais empolgante, e só mostra cenas de John em Marte. O bacana é assistir os dois. ;)


Read More




sexta-feira, 5 de setembro de 2014

Resultado do sorteio duplo

Boa noite leitores!!!

Curiosos para saber quem é o ganhador do sorteio?


Rufam os tambores!!!!
.
.
.


Parabéns Marcos Almeida!

Você tem até domingo as 19:00 para responder ou o e-mail ou o recado no facebook. Caso contrário farei outro sorteio. 

E você que não ganhou, não fique triste. Já já farei mais um sorteio especial aqui no blog! Fiquem ligados!!!


Read More




quinta-feira, 4 de setembro de 2014

#97 Resenha - Maze Runner, Correr ou Morrer (James Dashner)

Ao acordar dentro de um escuro elevador em movimento, a única coisa que Thomas consegue lembrar é de seu nome. Sua memória está completamente apagada. Mas ele não está sozinho.
Quando a caixa metálica chega a seu destino e as portas se abrem, Thomas se vê rodeado por garotos que o acolhem e o apresentam à Clareira, um espaço aberto cercado por muros gigantescos. Assim como Thomas, nenhum deles sabe como foi parar ali, nem por quê. Sabem apenas que todas as manhãs as portas de pedra do Labirinto que os cerca se abrem, e, à noite, se fecham. E que a cada trinta dias um novo garoto é entregue pelo elevador. Porém, um fato altera de forma radical a rotina do lugar - chega uma garota, a primeira enviada à Clareira. E mais surpreendente ainda é a mensagem que ela traz consigo.
Thomas será mais importante do que imagina, mas para isso terá de descobrir os sombrios segredos guardados em sua mente e correr, correr muito.

Boa noite leitores!

Vou fazer um quadro mental e gostaria por favor que vocês tentassem se imaginar nessa cena: você esta em um canto bem tranquilo lendo um livro incrível! Ele tem todas as suas características favoritas para formar uma excelente história ao seu gosto. Você esta nas últimas páginas. Quase acabando. E dai, ele acaba. Mas detalhe: nas últimas frases, ele acaba de um jeito que você não estava esperando. Então você fecha o livro, olha para o "nada" e pensa 'eu quero mais!' 

Foi exatamente assim que eu me senti após terminar o primeiro livro da série Maze Runner. 'Correr ou Morrer' da editora V&R entrou na minha lista de livros que tirou o meu fôlego esse ano. É uma estória mais ou menos complexa, nada que te deixa perdido, mas você não consegue resolver sozinho. Não consegui dar nenhum 'chute' por assim dizer. Meus palpites estavam sempre errados. A única forma de você saber o que acontece na próxima página é só realmente lendo. Pelo menos foi o meu caso. 

Claro que, um ponto negativo que me irritou um pouco no começo do livro, foi no caso do protagonista Thomas fazer diversas perguntas, e os outros rapazes não darem a mínima para o garoto. Poxa! O cara foi jogado num lugar que desconhece, sem saber o por que de tudo aquilo. E todos os outros passaram pela mesma experiência e não se compadeciam dele. Apenas diziam 'chega de perguntas' ou 'você saberá tudo amanhã'. Eita nós! Tudo bem, ele ficaram mais durões com o passar do tempo. Mas vamos concordar que isso irritou um pouco. Achei meio exagerado. Claro que, com o passar do tempo Thomas foi esclarecendo tudo, mas até lá, essas coisinhas foram chatas. Mas isso jamais tira a credibilidade do livro.

A capa, bom, a capa é exatamente como o livro retrata o labirinto. Sombrio, grande, assuntador, e cheio de mato grudado. 

E galera, tem filme! Tudo bem que isso não é novidade pra ninguém que acompanha blogs literários e o mundo do cinema, mas para quem é meio 'fora de sintonia' sobre isso, vai gostar de saber. E logo abaixo tem o trailer 2 legendado, que na minha opinião é o melhor e que resume em parte sobre do que se trata o filme. E da uma pontada de ansiedade.. amo! 


Eu não me canso de assistir esse trailer! *-* To xonada!
O filme estreia 18 de setembro.

Quero sem dúvida alguma ler a continuação. São quatro livros no total e acredito que vai superar Divergente. Bom, assim espero. Podem ler galera! Vale a pena!
Read More




Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Return to top of page
Powered By Blogger | Design by Genesis Awesome | Blogger Template by Lord HTML